Tratamento com células-tronco na medicina veterinária

11 de janeiro de 2018 Dica do Especialista

Mais longevidade para nossos pets, com muita qualidade de vida

Nos últimos anos a expectativa de vida dos nossos pets tem crescido bastante. Graças aos avanços científicos e tecnológicos, e as novas necessidades que vão surgindo, um novo ramo da medicina veterinária vem se destacando – é o da medicina veterinária regenerativa, terapia esta que é considerada um verdadeiro marco revolucionário na história da medicina. Dentro desta área tão inovadora, o uso das células-tronco vem ganhando grande enfoque para o tratamento de doenças que as  terapias atuais não são tão efetivas e ou tem poucas perspectivas para a cura.

As células-tronco são células com capacidade de se auto – renovarem, se diferenciam e adquirirem a funcionalidade de qualquer tecido, promovendo o restabelecimento do órgão e da lesão, tanto sob o aspecto estrutural quanto como funcional. Elas secretam inúmeras biomoléculas que permitem ação angiogênica, criam novos vasos sanguíneos, tem ação antifibrótica, atenuando ou evitando a formação de fibrose nos tecidos, tem ação antipoptólica, evitando ou atenuando a morte programada das células. Tem também ação imuno-modulatória, regulando o sistema imune, e, ação antiinflamatória, com o beneficio de não trazer efeitos colaterais num tratamento de longo prazo.
Existem dois tipos de transplantes. O autólogo, onde as células-tronco são isoladas do próprio paciente, e, transplante heterólogo, onde as células-tronco são isoladas de outro paciente.
As células mais utilizadas na veterinária são as células-tronco mesenquimais, que são células heterólogas, isto é, são retiradas de um outro animal sadio, da mesma espécie, congeladas e disponibilizadas para o transplante. As células-tronco mesenquimais podem ser obtidas através de diversos tecidos do organismo. Na medicina veterinária regenerativa os tecidos mais utilizados são a medula óssea, tecidos adiposos e tecido do cordão umbilical.

VANTAGENS DA TERAPIA COM CÉLULAS-TRONCO MESENQUIMAIS

O paciente não precisa ser submetido a procedimento cirúrgico para coleta do material, não existe risco de rejeição porque são células imuno-compatíveis. Possuem capacidade de migrar até o tecido lesionado e podem se diferenciar em células tecido específicas, ou, estimular as próprias células-tronco do paciente a promover a regeneração tecidual. Estão disponíveis no laboratório para uso imediato e possuem rígido controle de qualidade – com certificação que garantem a identidade, esterilidade, quantidade e viabilidade celular.
Até o momento, as doenças que podem ser tratadas com células-tronco são as osteoartrites e osteoartroses, a displasia coxo-femural, as fraturas e fissuras ósseas, as lesões tendineas e ligamentares, as feridas e úlceras, os traumas medulares, as sequelas de cinomose, a ceratoconjuntevite seca, a úlcera de córnea, a doença renal aguda e crônica, a aplasia e hipoplasia medulares, a dermatite atópica e as hepatopatias.
Mesmo com todas essas possibilidades de aplicação da técnica das células-tronco, outras patologias estão sendo estudadas, como as cardiopatias, as diabetes, a miosite mastigatória, a isquemia, a demodecicose e outras.
No tratamento, genericamente, são recomendadas de uma a três aplicações de células-tronco em intervalos médios de trinta dias. O protocolo terapêutico abordado bem como a via de aplicação dependerá da patologia. Somente o médico veterinário capacitado em terapia de células-tronco mesenquimais estará apto a avaliar o paciente e aplicar de maneira ética e segura todo o protocolo terapêutico das células-tronco. A medicina veterinária regenerativa pode proporcionar maior longevidade de vida aos nossos pets, com qualidade de vida, que sem dúvida é o mais importante.

Ronaldo Cuqui Candido – CRMV/SP-7034
Médico Veterinário e Diretor Clinico da L&M
Especialista em Clinica Médica e Cirúrgica de pequenos animais.
Capacitado e credenciado pela Regenera Stem
Cells para realizar a terapia com células-tronco

fonte: http://saudeebelezamais.com.br/index.php/pet/item/346-tratamento-com-celulas-tronco-na-medicina-veterinaria