Mau hálito em cães: quais as principais causas e como tratar?

17 de abril de 2018 Mundo Pet

Você chega em casa e seu cachorro vem feliz até a porta, abanando o rabo e com a respiração ofegante, esbanjando alegria. Mas só de se aproximar dele você já sente o cheiro forte e desagradável que sai da boca do seu mascote. Se isso acontece na sua casa, preste atenção! Mais do que um incômodo para os tutores, o mau hálito em cães pode ser a indicação de um problema sério de saúde e precisa ser investigado.

Em alguns casos, a halitose no nosso amigo de quatro patas é apenas resultado de falta de higiene bucal. Mas, antes de buscar uma solução fácil para o mau hálito, é preciso pensar nele como um possível sintoma.

Para entender melhor como lidar com esse incômodo, conheça algumas possíveis causas do mau hálito nos cachorros e aprenda a evitar esse problema.

Causas do mau hálito em cães

Na maioria das vezes, o mau hálito nos cachorros é provocado pela ação de bactérias, por resíduos de alimentos acumulados nos dentes e pelo tártaro (placa que aparece como consequência da decomposição de restos de alimento a longo prazo).

O tártaro, no entanto, não é apenas desagradável para o tutor e pode desencadear problemas mais sérios. Se não tratado corretamente, o tártaro pode causar gengivite, que leva à inflamação da gengiva e prejudica os dentes. Isso pode evoluir para uma doença periodontal, capaz de afetar toda a saúde bucal do pet, comprometendo dentes, maxilar, mandíbula, tecidos da boca e até os olhos e nariz.

Além disso, o cheiro ruim ou um hálito diferente do normal podem indicar outros problemas de saúde que precisam de uma investigação mais profunda para serem detectados. Entre as doenças que podem aparecer no hálito estão os problemas digestivos e intestinais, diabetes e  insuficiência  renal.

Como evitar o mau hálito

A principal arma contra o mau hálito e a formação de tártaro nos cães é a escovação frequente. Segundo especialistas, os cães devem ter seus dentes escovados todos os dias com escova e creme dental próprios.

Para aceitar essa rotina, o ideal é que o pet seja acostumado desde filhote, assim não oferecerá resistência na hora da limpeza. Caso o pet  já seja adulto, a saída é introduzir esse hábito aos poucos, começando a passar o creme dental em sua boca com os dedos para só depois utilizar a escova.

Outra forma de combater a halitose é oferecer regularmente petiscos, biscoitos e brinquedos próprios para evitar a formação de tártaro. Existem também produtos específicos que são misturados à água do pet e contribuem para a sua limpeza bucal.

Como tratar o mau hálito

Se o seu amigo de quatro patas já está apresentando um hálito muito desagradável, é preciso descobrir o que está causando esse problema, procurando a ajuda de um veterinário de confiança.

O primeiro passo do profissional será examinar a boca do seu pet e procurar por sinais de tártaro ou de infecções, como manchas nos dentes, gengivas avermelhadas ou com sangramento. Dependendo do que o exame indicar, o veterinário deverá recomendar uma limpeza para retirada do tártaro ou, em casos mais sérios, um tratamento periodontal.

Além de olhar a boca do pet, o profissional poderá solicitar exames para verificar seu estado de saúde por completo e, caso seja necessário, identificar outras causas para a halitose.

O mau hálito em cães é perigoso e, quanto mais cedo a higiene bucal fizer parte da rotina, menores as chances do seu pet desenvolver um problema sério. Por isso, para garantir a saúde de seu amigo, siga essas dicas e consulte sempre o veterinário.

Quer saber mais sobre a saúde do seu cão? Confira outros problemas que parecem simples, mas podem ser sinais de doenças!