4 princípios que você precisa saber sobre alimentação de cachorros

18 de janeiro de 2018 Sem categoria

Uma alimentação balanceada é fundamental para que o cão cresça saudável. Mas se engana quem pensa que somente o excesso de comida pode prejudicar nossos amigos de quatro patas. É preciso, também, estar atento à qualidade do alimento oferecido e às necessidades nutricionais, que variam conforme a idade.

Hoje, vamos conhecer 4 princípios que você precisa saber sobre alimentação de cachorro. Falaremos sobre os alimentos que os cães podem e não podem ingerir, a diferença entre rações padrão, premium e superpremium e, também, sobre as necessidades de suplementação — se você não sabe a importância da nutrologia veterinária, vem com a gente que está na hora de descobrir!

1. Cães não podem comer de tudo

Alguns tutores apostam em rações caseiras ou complementam a alimentação de seus cães com alimentos humanos como frutas, verduras e legumes.

Contudo, é importante ter em mente que não são todos os tipos de alimentos que os cães podem ingerir. Existem alguns que, além de fazerem mal aos pets, ainda contribuem para uma dieta pobre em nutrientes, o que prejudicará o desenvolvimento do pet.

Confira os alimentos que podem ser dados aos cães:

  • frutas: banana, maça, mamão, melão, melancia, goiaba e manga — sem cascas e sementes;
  • cereais: arroz desde que cozido e em poucas quantidades, devido o excesso de carboidratos;
  • verduras e legumes: abóbora, batata-doce, brócolis e cenoura — sempre cozidos para facilitar a mastigação.

Agora, uma lista dos alimentos que você deve evitar ou consultar um Nutrologo antes de oferecer ao seu pet:

  • abacate, laranja, carambola, jabuticaba, uva, uva passa;
  • pimenta, cebola, alho;
  • chocolate, pães, leite, macadâmia, noz.

2. Necessidades nutricionais devem ser avaliadas

Alimentação balanceada é aquela que oferece as quantidades necessárias de vitaminas, proteínas, carboidratos, minerais etc. Portanto, a ração industrial, nesse quesito, ainda é o alimento mais completo que pode ser dado aos pets.

Contudo, é importante observar que essas necessidades nutricionais mudam de acordo com a idade do cão, porte, raça e, até mesmo, se é castrado ou não. Ou seja, a alimentação de filhotes deve ser diferente de um cão adulto e idoso, assim como a de um cão de pequeno porte deve ser diferente de um cão de grande porte, por exemplo.

Para determinar qual a necessidade nutricional do cachorro, é essencial a visita a um nutrólogo veterinário, principalmente se o animal estiver esperando filhotes e ou contar com doenças crônicas, como cardiopatias, diabetes e obesidade. O nutrólogo veterinário é o profissional responsável por avaliar o cardápio do pet a fim de que a alimentação supra as necessidades nutricionais em cada fase da vida. Ele ainda poderá avaliar a necessidade de fazer a suplementação e acompanhará todo o processo.

3. A ração certa é indispensável

Com tantas opções e tipos de ração, como escolher a ideal para seu cão? Mais uma vez o nutrólogo veterinário poderá indicar a ração ideal para o seu pet, que suprirá suas necessidades nutricionais e, ainda, permitirá um desenvolvimento saudável.

Porém, algumas dicas são essenciais na hora de fazer essa escolha:

  • dê preferência às rações livres de corantes, transgênicos e gorduras em excesso;
  • sempre que possível, opte pelas rações superpremium, elaboradas com maior teor de proteína e a partir de produtos com maior qualidade. Com elas, o pet come menos e se sente satisfeito.

4. A quantidade ideal também deve ser respeitada

Por fim, é fundamental observar a quantidade ideal de ração para o seu cão consumir diariamente. Muitos tutores acreditam que estão fazendo o melhor para seus animais de estimação deixando comida disponível durante todo o dia. Porém, esse hábito pode trazer muitos problemas ao cãozinho.

Os pets devem ter horários para fazer as refeições, a fim de evitar problemas como refluxos ou transtornos alimentares. Para cachorros adultos e idosos, o ideal é que a alimentação seja feita 2 vezes ao dia. A dica é servir a comida e retirá-la em 15 minutos. Dessa forma o animal poderá se adaptar aos horários de alimentação. Já os filhotes, até 6 meses de vida, devem ser alimentados até 6 vezes ao dia.

Garantir a alimentação de cachorro correta pode não ser uma tarefa simples, entretanto é um dos passos mais importantes para garantir a qualidade de vida e saúde do seu melhor amigo.

E você, tem outras dúvidas sobre alimentação de cachorro? Quer contar alguma experiência para a gente? Deixe seu comentário!